Como o 5G está mudando o cenário da cibersegurança

Escrito por Zevenet | 11 Outubro, 2021 | Dados Técnicos:

5G tem um grande potencial para as empresas. A promessa de velocidades de até 20 Gbps e latência quase zero pode ajudar as empresas a se tornarem mais rápidas e mais conectadas do que nunca. Apesar desses benefícios, as redes 5G também apresentam alguns novos riscos.

Os temores públicos sobre radiação ou doenças que viajam ao longo das ondas 5G são amplamente infundados, mas essas redes representam algumas ameaças. À medida que lentamente se tornam o padrão de conectividade, eles criarão novas oportunidades para os cibercriminosos. As estratégias de segurança cibernética terão que se adaptar para manter as empresas seguras.

Aqui está uma visão mais detalhada de como o 5G está mudando o panorama da segurança cibernética.

Ameaças crescentes de IoT

A Internet das coisas (IoT) já é uma preocupação de segurança proeminente e o 5G levará isso mais longe. A alta largura de banda e a baixa latência do 5G fornecem melhor suporte para o crescimento rápido da IoT, que, por sua vez, expande as superfícies de ataque em potencial. À medida que as empresas implementam mais dispositivos IoT, elas fornecem, sem querer, mais pontos de entrada em potencial para hackers.

Um dispositivo IoT como um termostato inteligente pode não ter muito potencial para danos por si só, mas pode atuar como um gateway. Os hackers podem usar esses pontos de extremidade muitas vezes desprotegidos para obter entrada em uma rede e, em seguida, mover para outros dispositivos com dados mais confidenciais. Como o 5G provavelmente coincidirá com a adoção mais ampla da IoT, essa ameaça se tornará muito mais prevalente

Infraestrutura crítica mais conectada

Da mesma forma, com a ascensão do 5G virá mais infraestrutura para cidades inteligentes. As cidades serão capazes de implementar conectividade IoT em redes de energia, sistemas de tráfego e muito mais. Embora haja muitos benefícios nesse movimento, ele também torna a infraestrutura crítica suscetível ao crime cibernético.

Por exemplo, os hackers podem se infiltrar em uma rede elétrica acessível sem fio para desligar o fornecimento de eletricidade de uma área. A conectividade com a Internet é um novo conceito para a maioria das infraestruturas críticas, portanto, o crime cibernético não era uma ameaça para ele. Isso vai mudar com o 5G, abrindo a porta para ataques cibernéticos destrutivos. O crime cibernético se tornará uma ameaça muito mais perigosa.

Falta de pontos de estrangulamento de hardware

As redes 5G também operam de forma diferente de suas predecessoras, o que traz novas preocupações de segurança. Uma dessas diferenças é que o 5G usa pequenas células distribuídas e roteamento definido por software em vez de comutação centralizada baseada em hardware. Isso melhora a velocidade e a latência, mas também remove os pontos de estrangulamento que podem ajudar a interromper as ameaças à segurança cibernética.

Em redes anteriores, todos os dados passavam por pontos centrais de hardware, fornecendo um local para monitorar conexões indesejadas ou código malicioso. Como as redes 5G são mais flexíveis e distribuídas, não há um lugar onde as equipes de segurança possam concentrar seus esforços de higiene cibernética. As empresas provavelmente terão que mudar para soluções de monitoramento de inteligência artificial (IA) para compensar isso.

Divisão de rede

Outro novo recurso que o 5G apresenta é o fatiamento de rede. A divisão de rede divide as conexões em fatias separadas, ou conexões virtuais, para direcionar recursos para vários tipos de tráfego de forma mais eficaz. Os protocolos de segurança cibernética terão que se adaptar a essa fluidez, uma vez que diferentes fatias podem ter riscos cibernéticos variados.

Soluções uniformes que operam com base em um denominador comum serão insuficientes nessas situações. Uma única rede 5G pode conter vários fluxos operando de forma diferente, apresentando vários tipos de ameaças. Os programas de monitoramento e resposta de cibersegurança terão que ser dinâmicos de forma semelhante, respondendo por uma gama mais ampla de condições em uma rede

5G requer novas abordagens de segurança cibernética

5G não é inerentemente inseguro, mas apresenta alguns novos riscos. Se as empresas esperam obter todos os benefícios dessas redes, elas terão que levar em consideração essas novas necessidades de segurança cibernética. Quando eles sabem quais são os desafios que enfrentam, eles podem responder adequadamente e usar o 5G com segurança.

O panorama da segurança cibernética está mudando. À medida que as redes 5G se tornam mais comuns, os padrões de segurança da indústria terão que se adaptar para serem mais adequados a essas novas ameaças. As empresas devem começar a considerar essas mudanças agora para se preparar para o futuro.

GRAÇAS A:

Devin Partida

COMPARTILHE NO:

Blogs relacionados

Postado por zenweb | 17 de novembro de 2021
Entre a trágica situação da pandemia atual, um resultado inspirador foi a cultura remota. A súbita interrupção nos setores forçou as organizações a começarem a operar remotamente quase da noite para o dia. Como um…
6 CurtiuComentários Off sobre como trabalhar remotamente com nuvem ajuda pequenas empresas
Postado por zenweb | 12 de novembro de 2021
Todos nós sabemos que o setor de TI é um dos setores de crescimento mais rápido em todo o mundo e a computação em nuvem causou um tremendo impacto no crescimento do setor de TI em ...
10 CurtiuComentários Off sobre por que o balanceamento de carga é importante para ambientes de computação em nuvem
Postado por zenweb | 28 de outubro de 2021
Introdução Os crescentes crimes cibernéticos no setor obrigaram as empresas a se concentrarem nas implementações de segurança cibernética na organização. O cenário de TI em evolução exige fortemente operações e sistemas de negócios dinâmicos ...
13 CurtiuComentários Off Sobre as 5 principais considerações de segurança para migração para a nuvem